Curiosidades Sobre os Países

Este Blog foi criado para que possa ajudar aqueles que se interessam sobre outro país, seja seu relevo, principais cidades, rios, mapas, cultura, sua música, hinos, pessoas....tudo o que você precisa realmente saber de outro país!!

20.7.06

Suíça

Suíça
Informações Gerais:
Localização: Centro da Europa
População: 7200000hab(2001)
Capital: Berna
Nacionalidade: Suíça
Idiomas: alemão, francês, italiano e romanche(nacionais)
Religião: católicos(46%), protestantes(40%)
Governo: República Confederativa
A Suíça é um dos países mais ricos do mundo. Berço das nascentes dos maiores rios europeus, como o Reno e o Ródano. O país recebe anualmente milhões de turistas, interessados sobretudo na prática de esportes de inverno.
Quando fala-se na Suiça a primeira coisa que pensa-se é nas montanhas, seu paraíso financieiro, os chocolates, o queijo, porém Suiça é algo mais do que isso. A Confederação Helvética é uma união política de 26 estados (23 distritos e 3 semi-distritos), que são autônomos em matéria militar, educativa e religiosa. Cada região conta com particuaridades únicas. Na Suiça fala-se quatro idiomas diferentes, o francês, italiano, alemão e o romance. A metade da população é católica e a outra protestante. Dos quase sete milhões de habitantes que vivem na Suiça, um milhão são estrangeiros. Tudo isto nos dá uma referência da mistura de culturas, do fascínio da sua variedade e ao mesmo tempo do respeito que respira-se neste pequeno país.
Clima
Ao sul, Tesino tem um clima cálido e mediterrâneo, e no sudeste, Valais é conhecido por ser muito seco. No resto do território a temperatura média é de 20º C e 25º C no verão, e de 2º a 6º C no inverno. Os verões costumam ser muito ensolarados, enquanto as chuvas chegam na primavera e no outono.
Sua História
Os celtas ocupavam o território suiço há mais de três mil anos. Os helvécios e os réticos estiveram mais tarde. Depois chegou o império romance com Júlio Cesar no ano 58 antes de Cristo, cujo poder durou somente até o século IV, sem deixar rastro. As tribos mantiveram-se independentes, e não poderam ser conquistadas, por ser dificultosa a penetração neste terreno. Os burgundios e os germanos chegaram no século V. Os francos mais tarde, incluindo-se no Sacro Império Germânico no século IX, o que não impediu que os senhores feudais fossem adquirindo poder e surgissem pequenos feudos e Estados, entre eles o dos Hausburgo no século XIII.
A Confederação da Liga Pérpetua em 1291, criada para proteger destes poderes. Durante o século XIV as lutas entre a casa ducal de Áustria e a Liga, serão abundantes, esta última irá extendendo suas fronteiras, fazendo assinar quando vencia, tratados pelos que reconheciam seus direitos e sua independência, aos príncipes austríacos, alemães e luxemburgueses, que formavam o império. Desde então é a conhecida luta entre Guillermo Tell e o governador austríaco de Altor. O Estado que começou a nascer, foi-se convertindo em uma potência militar.
A idéias da reforma no século XVI chegaram na Suiça, e como ocorreu em outros lugares de Europa, os disrtiros suiços protagonizaram lutas de religião. Trouxe a Paz de Westfalia no século XVII, reconhece-se a independência da Suiça e o direito de cada distrito a adotar a religião que desejar e respeitar as diferenças. Durante o período napoleônico criou-se uma República Helvética Centralizada e Unitária, que transformaria-se em República Federal, à que somariam-se alguns distritos a mais. Com o congresso de Viena, a princípios do século XIX, proclama-se a neutralidade perpétua dos suiços, e acrescetam mais distritos. Durante este século proclama-se a Constituição Federal, que continua vigente hoje.
Durante o século XX a Confederação manterá neutra em todos os conflitos bélicos. Suiça é sede de numerosos organismos internacionais. O poder executivo exerce-se na Suiça através de um Conselho Federal, com sete membros alternados anualmente na presidência da Confederação.

Pontos turísticos

O OESTE DA SUIÇA
BERNA
Berna, cujo nome tem sua origem em um "urso", é a capital política da confederação Helvética. Está situada na Suiça de língua alemã. A sede do Governo,
a administração, e sedes diplomáticas de outros países.
Entre os lugares que destacamos para o visitante está a Igeja do Espírito Santo. Dali as pitorescas ruas leva-nos ao rio. Encontraremos em nosso passeio bonitas fontes, entre elas a Fonte do Ogro, a Fonte do Gaitero, a Fonte dos Mosqueteiros e a Fonte de Zähringen, dedicada ao fundador da cidade, que encontrou o urso e pegou-o em uma caçada e quem escolheu o nome da cidade, como tinha prometido ao primeiro que o ultrapasse.
Outro interessante monumento é Käfigturm, uma torre prisião do século XVII. As ruas desta zona estão feitas de pedra e adornadas com arcadas e soportales de grande beleza. A Torre do Relógio, é tudo um espetáculo, dando as horas. Entorno encontra-se a Igreja Francesa do século XIII, a mais antiga da cidade. Não muito distante está a casa onde viveu Einstein. Dali podemos visitar a Catedral de Berna, de estilo gótico tardio, onde poderá admirar as vidraçarias e o coro renascentista. O edifício do Parlamento encontra-se perto dali, com cúpula verde. Nesta Praça celebra-se um pitoresco mercado.
Entre os museus destacam-se o Museu da História, ao outro lado do rio; o Kumts Museum e o Swiss Alpine
Museum.
NEUCHATEL
Neuchatel, é uma cidade francófona, que oferece um fácil acesso para visitar as montanhas de Jura. O mais atrativo da cidade é o castelo, a Igeja e a Torre prisão. Também resulta interessante o Museu de Arte e História. Próximo a cidade tem a Papiliorama e Nocturama. Dali pode-se chegar a Chaux-de-Fonds.
GENEBRA
Genebra pertence a parte de língua francesa, e é conhecida sobretudo por ser a sede da UNESCO e de muitos outros órgãos internacionais. Na zona do lago encontra-se o sultidor, o jardim angaise, com seu Relógio de Flores, e o Monumento Nacional. Cruzando a ponte do Mont Banc, chegamos ao Monumento a Charles II de Brumswick, mais adiante vemos os parques de Mon Repos e Perle du Ac, onde encontra-se o Museu das Ciências.
Na Praça das Nações está o Edifício da Organização Mundial da Propiedade Intelectual, e perto dali encontra-se o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, a Organização Internacional do Trabalho e a sede da OMS, Organização Mundial da Saúde.
O Ródano divide-se em duas a cidade, e em sua márgem esquerda transcorre a vida artística e intelectual. A rua principal é a Grand Rue, onde poderá ver a casa de Rousseau. Outros lugares de interesse são o Palácio da Prefeitura; o Museu de História Natural; o Museu da Reloajería; o Museu dos Instrumentos Musicais Antigos; a Igreja Russa Ortodoxa; a Universidade, na Praça Nova; e o Grande Teatro, onde está instalada a Ópera de Genebra; o Museu Rath e o antigo Conservatório.
A zona mais animada da cidade é a Praça Moard e na planície de Plainpalais instala-se um animado mercadinho nas quartas-feiras e sábados.
A ZONA DO LAGO LEMAN OU GENEBRA
Lausana é a capital do distrito de Vaud. A Catedral gótica com curiosas janelas e seu portão é o mais chamativo da cidade. O Palácio de Rumine contém vários museus. Poderá ver também outros interessantes museus como o Museu Olímcume e o Museu de l´Art Brut.
Montreux é a cidade por excelência da riviera suiça, além de suas impressionantes vistas do lago é muito popular o Chateau de Chillon.

O SUL DA SUIÇA
VALAIS

As montanhas e vales desta zona, que já foi uma das mais inacessíves do país, juntam-se em um cenário natural assombroso. Entre as localidades mais importantes da região encontra-se Sion, uma histórica cidade cheia de velhas fortificações; Zermatt, onde poderá praticar o esqui e o montanhismo e avistar o cume de Matterhorn o mais conhecido como Monte Cervino, que aprecia-se entre os mais carismáticos do mundo; e Saas Fee onde encontram-se outros importantes cumes montanhosos e pode-se esquiar.
TICINO
Esta região tem a sorte de encontrar-se ao sul dos Alpes e desfrutar de um clima mediterrâneo. Entre as cidades que se destacam encontra-se Locarno, onde poderá visitar o santuário da Madonna do Sasso, Chiesa Nova, e o parque Giardini Jean Arp; Bellinzona, a cidade dos castelos e Lugano um formoso lugar às márgems do lago de mesmo nome, e que também possui um ambiente cultural muito rico.
GRAUBÜNDEN
A região tem fama de ser um dos melhores centros do esporte de inverno do mundo. Na zona fala-se tanto o alemão como italiano e romance. Entre as capitais mais importantes assinalamos Chur, uma velha e atrativa cidade com numerosos edifícios do século XVI, e St Motitz, uma cidade balneária, cujas águas são conhecidas pelos poderes curativos desde a antiguidade.


O CENTRO DA SUIÇA
Um universo de montanhas e lagos, povoados alpinos, gado pastando e mil lugares para praticar o esqui,
estão esperando o viajante. A cidade de Lucerna em pleno coração do país e ás márgens de um lago, conserva-se suas muralhas medievais, as pontes de madeira e suas torres em memória de um passado histórico fascinante. O mais atrativo da cidade é Das Lowendenkmalk, um leão, símbolo da cidade. Interlaken como seu nome indica extende-se entre dois lagos, os cumes de Jumgfrau e Finsteraarhorn vigiam-na, e o centro da vida da cidade desenvolve-se em Högeweg. Na cidade tem também um cassino e um Castelo, digno de ver-se. Um lugar ideal para as excursões e o esqui é a região de Jumgfrau.

O NORTE DA SUIÇA
ZURICH
Zurich é a mais popular das cidades suiças, pois oferece um ambiente animado e numerosas diversões culturais. A parte antiga da cidade conta com zonas para caminhar, onde poderá passear tranquilamente, enquanto desfruta dos monumentos que oferecem suas ruas. Entre o mais carismático de Zurich encontra-se o Bahnhofstrasse, a Igeja de São Pedro, a Igreja de Fraumünster, a Catedral Grossmünster, e entre os museus destacam-se o Museu Nacional, o Museu de Belas Artes e sobretudo, não deixe de visitar a Lindt E Sprüngli chocolate factore, um museu delicioso.


OUTROS PONTOS TURÍSTICOS
Outras localidades de interesse na zona norte são: Schaffhausen, uma localidade situada no extremo norte do país, que conta com um centro medieval muito pitoresco; Appenzel, uma população que puxa numerosos turistas pelo aspecto peculiar, seus edifícios antigos e seus arredores maravilhosos; St Gallen, um importante centro de cultura medieval; e Basel, uma cidade industrial, que soube manter sua herança cultural e o sabor antigo, dispõe de numerosos museus, e também guarda a tumba de Erasmo de Rotterdam.

Arte e Cultura

Suiça não conta com uma tradição de grandes artistas, embora muitos gênios do mundo todo inspiraram-se nas márgens de seus lagos. O pintor mais conhecido é Paul Klee, que trabalhou o abstrato. A obra de Rousseau no século XVIII foi fumdamental para a democracia. Carl Jumg revolucionou a psicanálise. Arthur Honegger é o único compositor notável e no terreno arquitetônico; os muros das cidades falam por si próprios. Le Corbusier é o mais emblemático.
Sua população e Costumes
Suiça tem uma população de sete milhões de habitantes, unidos apesar de seus particulares universos, incluido o das línguas que cada zona partilha com seus paises vizinhos. Trata-se de gente pacífica, amável e condescendente. As cidades são prósperas, limpas e modernas, enquanto que na zona das montanhas vive gente ainda muito apegada às tradições. Festivais e ritos, acompanhados das vestes típicas são alguns dos costumes que poderá observar o turista que entrar nas montanhas.




agradecimentos e mais informações no site www.rumbo.com.br

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home