Curiosidades Sobre os Países

Este Blog foi criado para que possa ajudar aqueles que se interessam sobre outro país, seja seu relevo, principais cidades, rios, mapas, cultura, sua música, hinos, pessoas....tudo o que você precisa realmente saber de outro país!!

12.7.06

Romênia


Romênia
Nome oficial: Romênia
População: 22400000hab (2001)
Capital: Bucareste
Nacionalidade: Romena
Idiomas: Romeno(oficial), e Húngaro
Governo: Repúlblica Parlamentarista


A capital romena é Bucuresti (Bucareste), cidade fundada em 1459. Situa-se no Sul do país, em uma altitude de 85 metros e ocupa 228 quilômetros quadrados, tendo atualmente 2,5 milhões habitantes.
A Romênia está dividida em 41 distritos e o município da capital. Tem 263 cidades e 2.685 localidades rurais com 13.285 aldeias. Suas cidades principais (entre 300.000 e 500.000 habitantes) são Constanta (Constantza), Iasi, Timisoara, Cluj-Napoca, Galati, Brasov, Craiova. Há 25 cidades com mais de 100.000 habitantes.


Províncias históricas
As províncias históricas da Romênia são: Banat, Crisana, Transilvânia, Maramures (antigo Principado da Transilvânia), Oltênia, Muntênia, Dobruja (parte do antigo Principado da Valáquia/Muntênia), Bucovina, Moldávia e Bessarábia - a última constituindo atualmente a República da Moldávia (antigo Principado da Moldávia).

Bucareste
Bucareste, a capital da Romênia, tendo uma arquitetura belíssima e variada, tanto que é tida como uma "obra de arte ao ar livre", é também uma cidade jardim. Os parques Cismigiu e Herãstrãu oferecem uma atmosfera muito agradável e são os lugares favoritos para os passeios dos bucarestinos.
O primeiro documento que registra o nome de Bucareste foi emitido pela chancelaria do príncipe Vlad Tepes (Drácula), a 20 de setembro de 1459. A origem da palavra Bucareste está intrinsecamente ligada à palavra romena bucurie que, em português, significa alegria. Outra teoria é que o nome da cidade provem de um pastor chamado Bucur, que teria fundado a cidade.
Bucareste sempre se afirmou como um centro cultural europeu, tendo servido de arena para grandes manifestações culturais, associadas ao requinte arquitetônico e ao aprimoramento das artes e da ciência, principalmente no século XIX, quando surgiu o apelido, até hoje usado, de "A Pequena Paris".
A cidade tem mais de dois milhões e meio de habitantes - o maior centro urbano do país. Por essa razão, lá se concentram os grandes movimentos culturais, políticos e comerciais. Do ponto de vista do entretenimento, Bucareste oferece um leque variado de opções: importantes museus, teatros, óperas, restaurantes tradicionais, enfim uma infinidade de atrativos que são ressaltados ao se associarem ao calor latino característico do povo romeno.
A cidade de Bucareste, em si, é uma verdadeira obra de arte. Como exemplos de sua beleza arqui tetôni- ca podemos citar algumas construções representativas que datam da segunda metade do século XIX e híbridas da primeira metade do século XX: o Banco Nacional (1883); o Museu da Literatura Romena (1873); a Academia Romena (1890); o Palácio da Justiça (1890); o Liceu Gheorghe Lazãr (1890); a Estação do Norte (1868); o Palácio do Parlamento (1907); o Ministério da Agricultura (século XIX); a sede da Caixa da Economia (século XIX); o Palácio Sutu (século XIX); o Hospital Coltea (XIX); o Hanul Manuc (século XVII); o Aeroporto Bãneasa (séculoXX); Arco do Triunfo, com 27 metros de altura (1935); o Ateneu Romeno (século XIX); a Universidade (séculoXIX); os museus Grigore Antipa (1908), de Arte Popular, da Historia da Romênia, de Arte da Romênia (antigo Pálacio Real), Militar Central (todos do século XIX), do Camponês (século XX); as igrejas Stavropoleos, do Patriarcado (século XVIII), Mihail Voda (século XVI), Bucur (século XVI), Coltea (século XVII), Antim que são verdadeiras jóias arquitetônicas. A mais recente construção é o Palácio do Parlamento (fim do século XX) , considerado o segunda antiga civilização romena e das tradições do folclore.
Os séculos XV e XVI viram erguer-se, na Bucovina, esses mosteiros sob a égide da grandiosa personalidade do príncipe Estevão, o Grande - ilustre Vaivoda, capitão de exércitos e patrono espiritual da Moldávia. Durante seu reinado, de quase meio século (1457-1504), fez seu principado avançar para muito além dos padrões de sua época. A cultura conheceu um grande florescimento. Em que pese as freqüentes guerras, o príncipe construiu numerosos mosteiros, igrejas e cidadelas. A época de Estevão, o Grande teve um estilo artístico próprio: "o estilo moldavo" - expressão que entraria para a história da arte universal definindo o entrelaçamento harmonioso das tradições artísticas populares com certa influência bizantina e gótica que chegaram através da Sérvia, da Rússia e da Polônia. O estilo moldavo acrescentou numerosas inovações construtivas e decorativas ao patrimônio artístico universal.
Os afrescos exteriores das igrejas constituem um dos tesouros mais fabulosos da arte moldava. São uma verdadeira Bíblia ilustrada, única em todo o mundo, de incomparável valor artístico referendado por especialistas da Unesco. A idéia de converter os muros exteriores das igrejas em uma Bíblia ilustrada, acessível à gente simples, foi um verdadeiro programa educacional medieval. As pinturas parecem ser parte de um filme colorido, narrando contos, lendas, costumes e grandes acontecimentos históricos, tais como a queda de Constantinopla.
Os afrescos - o mais difícil e audaz modo de pintar, segundo o definiu Miguel Ângelo - existem na Bucovina há quase cinco séculos.
Segundo a opinião unânime dos especialistas, Voronet (a capela Sistina do Oriente), Humor, Sucevita, Moldovita Putna, Neamt, Agapia, Vãratec, Dragomirna e Arbore são obras-primas de uma civilização refinada, única no mundo.
Outras regiões da Romênia abrigam mosteiros famosos: Curtea de Arges (1512-1521), Cozia, Turnu, Tismana, Hurez, Bistrata e Arnota


Cultura
Único povo latino da Europa oriental, cuja gênese e desenvolvimento ocorreram num contexto diferente dos demais povos românicos, os Romenos trazem uma nota à parte à cultura européia. Permaneceram fiéis à origem latina não só pela língua, mas também pela aspiração aos valores da cultura européia.
Na religião (a ortodoxa), como na história, eles foram fortemente marcados pelas culturas vizinhas, já de início pela bizantina. Deve-se a isso sua abertura para outras culturas, e sua capacidade de assimilar as influências.
Na Idade Média, a criação cultural patenteou-se principalmente na arquitetura e nas artes plásticas. Dão testemunho disso os mosteiros da Moldávia, entre os quais se destaca o de Voronetz, também conhecido como A Capela Sixtina do Leste, por seus maravilhosos afrescos exteriores, únicos na Europa.

Drácula
A Romênia, terra de folclore riquíssimo, é um país há muito identificado com os lendários vampiros, pois a Transilvânia, uma das suas províncias, foi o palco onde se desenrolou o romance Drácula, do escritor irlandês Bram Stoker. E por conta do romance, a Transilvânia transformou-se em lenda e ficou conhecida como a terra dos vampiros...
Em 2001, o governo romeno iniciou o projeto de criação, na Transilvânia, onde fica o castelo do conde Drácula, de um parque de diversões que se chamará Draculândia. Do projeto participam empresas extrageiras, entre as quais a Pullman e a Siemens.
Os principais pontos de atrações da Draculândia serão o "carrossel Drácula", uma montanha russa, uma casa
do terror, uma casa dos espelhos e uma "estaca-jet".
Outras atrações do parque serão o Instituto Internacional de Vampirologia; uma miniexposição das construções e das zonas representativas da Romênia; o castelo do conde Drácula; um lago artificial; um jardim-labirinto; e, como não poderia deixar de ser, catacumbas...
A Draculândia terá ainda hotéis com acomodações para 700 hóspedes e será um parque totalmente ecológico. Sua inauguração deverá ocorrer no final de 2003.
O verdadeiro Drácula foi o voivoda - título dado aos príncipes da Valáquia, da Moldávia e outros países,
Na cidade de Bran, encontra-se o castelo onde esteve preso o príncipe Vlad Tepes, o Empalador, que inspirou a criação do vampiro Drácula. significando também chefe do exército) Vlad Tepes, o Empalador - herói nacionalista e grande guerreiro -, que viveu no século XV e marcou significativamente a história do seu país. Ele reinou por três vezes (em 1448; de 1456 a 1462; e de 1476 a 1477) na Valáquia e lutou contra os turcos pela independência do seu país e do seu povo. Mas sua personalidade inspirou o escritor irlandês Bram Stoker que criou a assustadora história do vampiro Drácula que, aliás, não tem nada em comum com Vlad Tepes.


Literatura e artes
O mundo romeno desenvolveu uma relação especial entre a oralidade e a cultura, a tradição e a modernidade. Isso explica por que o poeta nacional, Mihai Eminescu (1850-1889) - que estudou em Viena e Berlim e era familiar das mais altas especulações filosóficas - foi também grande admirador e pesquisador do folclore e servindo de sábio entrelaçamento entre esses dois componentes culturais. Da mesma maneira, isso manifestou-se na música de George Enesco.
Foi talvez por isso que os grandes valores oferecidos pelos romenos à cultura universal sempre foram de vanguarda. Daí levantou vôo o pássaro mágico de Constantin Brancusi, o dadaísmo de Tristan Tzara, o teatro do absurdo de Eugène Ionesco, o moralismo não-conformista de Emil Cioran. Acrescentam-se a eles Mircea Eliade, o grande historiador das religiões, George Emil Palade, laureado com o Prêmio Nobel de medicina, e muitos outros. Todos eles penetraram no circuito internacional dos valores por intermédio de uma grande cultura, sobretudo a francesa, em cujo bojo sempre se reconheceu os valores romenos.
Em épocas históricas favoráveis, de abertura para o mundo, o espírito inovador romeno revelou grandes personalidades. Assim, a personalidade enciclopédica de Dimitrie Cantemir, por um breve período príncipe reinante da Moldávia (1710-1711), historiador do Império Otomano, obteve reconhecimento europeu como membro da Academia de Berlim; na mesma área, dois séculos mais tarde, Nicolae Iorga apôs o seu nome em obras sobre o sudeste europeu. Na área técnica, Henri Coanda tornou-se notável pela construção do primeiro avião à reação, enquanto a voz do diplomata Nicolae Titulescu, duas vezes presidente da Liga das Nações (1930 e 1931), tornou-se e eco do desejo dos Romenos de representar um papel ativo na vida do continente.


Música
Bom, eu aconselho a qualquer pessoa, que goste ou não da Romênia, queira ou não ir para lá, mas que ouça um trio musical contemporâneo chamado O-Zone, que canta músicas Dance. Uma das suas músicas mais tocacas na Europa é a música Dragostea Din Tei, da qual o cantor Latino fez a música festa na Apê. Se você não sabia que a música do Latino era versão de outra, deixe um comentário dizendo que vc quer ouvir a música que eu poderei mandar pra você.
Agradecimentos e mais informações no site: www.romenia.org.br

2 Comments:

  • At 4:23 PM, Blogger Humor Top said…

    Bom blogger Parabens

     
  • At 11:18 AM, Anonymous Anônimo said…

    zrk e zxm u, Sex. kvj u, bnk memiop! ubye c ixj zu.

    ijv o bur y, [URL=http://www.pr0nvidz.com]Sex Videos[/URL]. dmg l, oox chsprc! lonx w bll ya.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home